Se você é jovem ainda

foto: google imagens
O titulo talvez te faça lembrar da música do melhor seriado da vida, mas o assunto é outro. Se você é jovem ainda o que a ti cabe fazer, querer, pensar, sonhar, idealizar, imaginar, viver?

Dadas certas épocas e fazer na vida tudo que queremos viver se torna quase que essencial, uma mistura de liberdade e curiosidade, eu poderia ser por exemplo mais poetisa, mas serei dialética, discutindo os fatos nos quais me fizeram pensar no texto de hoje, coisas simples da vida.

Sobre tomar o primeiro "porre", lembro me bem do meu, até este dia nunca tinha bebido nada na vida, resolvi experimentar um copo de caipirinha e pronto, bastou esse, eu estava bêbada, foi engraçado, e idiota, não vale contar detalhes até para não alongar tanto o post, mas essa não foi a primeira vez, bebi outras vezes depois dessa, e o mais legal até hoje foi o de tequila. Coitados dos meus amigos, eles ficam com a parte ruim da coisa, me aguentar.

Mas porque estou falando sobre isso? porque acho que se você tem curiosidade de saber como é essa sensação, porque não fazer sabe, salve que isso é o que eu acho, eu não me arrependo de nada, mesmo sendo cristã, fiz o que eu quis e quando tinha que fazer. "Se for pra pirar, que seja agora", postei essa frase por aqui já, algo relacionado a vida do Fiuk, e essa frase, gente, diz tudo.

Não vejo um porque oprimir isso como se não fosse uma possibilidade, acho que tudo na vida é válido desde que não acarrete consequências ruins e sem volta, e é possível levar nesse nível. Os paredões impostos nas nossas cabeças interferem em coisas que queremos fazer. E é aquela, você não vai saber até fazer. Não precisa fazer só porque tem gente fazendo, faça porque você quer, quando você quiser. E não precisa ser um estado, assim como eu, não gosto da bebida, mas gostei da experiência sim, pronto. 

Isso vale pra muita coisa. E no fundo, você sabe o que quer e o que é melhor, então viva. Não quer dizer que é tudo sobre ficar bêbada, foi só um exemplo básico, aplique-o na área que lhe caber, querido leitor.

Sua Lola

Share:

0 comentários