Estranhamente bem


Ele avisa que chegou e eu saio para encontra-lo.

Ele diz:

"Tenho duas noticias, uma boa e uma ruim".

- Quero a ruim primeiro.

Ele ignora e vem com a boa, que é a entrega do presente deo meu aniversário, um box com a 5 primeiras temporadas de smallville. Como não amar? Ele sabe que amo essa série.

Me afasto..

- Diga, qual a ruim..

Ele hesita brevemente.. e diz:

- Quero terminar.

Uns segundos de silêncio... 

E a justificativa vem, algo que na minha interpretação foi:

"Nos últimos dias estava sem interesse, você estava puxando mais assunto que eu.. blá blá."

Silêncio. Passada.

- Não tenho o que falar...

Ele: "Já esperava isso?"

- Não, não mesmo, não hoje.

Ele: Eu gosto de você, mas..

- Não fale isso, é pior. "Eu gosto de você, mas.. porém.." é pior.

Eu não tinha o que falar, o que reclamar, o que murmurar, o que lamentar, o porque correr atrás, o porque tentar saber o motivo real - igual fiz outra vez -. Eu não tinha. Talvez ainda não tenha. 

A história não acaba por ai, provável que tenha tido palavras a mais que não me recordo no momento, sei que logo após ele foi embora, eu entrei em casa, voltei a assistir o seriado, que começara a ver por indicação dele, "sons of anarchy". Empolgada, nem dei tempo para pensar no acontecido, coloquei o presente na cama, troquei de roupa e voltei para o netflix. Terminei mais uns 2 episódios, desliguei a luz e o notbook e fui dormir. 

Ah.. admito que nessa hora senti falta de falar e receber o "boa noite, beijo, e até amanhã", acompanhado com um coração, antes de dormir. Mas ignorei todos os pensamentos que queriam vir a tona e dormi. Muito bem, a propósito.

Acordei e foi a primeira coisa que me veio a memória. Ignorei novamente e fui tomar banho, devo ter pensando nisso outras vezes até terminar todo processo para me arrumar, pegar no ónibus e chegar no trabalho.

Na manhã fiquei calma por não ter ansiedade de receber ou mandar mensagem. Admito. Estava calma com isso, sem o peso de ter de fazer presente quando algo é incerto. 

Contei a história somente para uma amiga do trabalho e para uma outra mais íntima, e estou recusando opiniões, comentários e deduções sobre. Ah, pena e preocupação também. Estou bem, bem como não achava que fosse ficar. Estranhamente bem.

Acho que no fim das contas a dúvida e incerteza a cerca da relação estava me matando mais. Me deixando agoniada, curiosa, mal, desesperada. Não que estar pensando como estávamos, o que iria acontecer, como ele estava, se iria acabar hoje, se ele ia ser carinhoso, se iríamos ter assunto ou até quando iríamos conseguir nos ver. Então que seja um não, mas seja uma decisão de fato.

Que seja minha situação agora, que pode se alterar, mas é verdadeira. Estou bem, estranhamente bem, com uma paz e leveza que não esperava de mim mesma nessa situação. Sentirei falta, eu sei que sim, mas falarei sobre em outro post. 


Lola.

Share:

0 comentários