Eu prometo ser


Eu te prometo ser feliz. Prometo sorrir mesmo sem motivos aparentes para isso. Prometo aprender a gostar de cachorros. Juro, eu prometo, acredita. Não é possível alguém passar uma vida inteira sem ter coragem de admitir que não convive com animais por não gostar. Tá, desde agora eu admito, não convivo, nem gosto de ficar perto deles, por medo, sim, medo. Medo deles partirem, como já aconteceu. Medo do trabalho que poderão me dar. Medo do apego. Isso, eu terei um pug. Decidido. 

Eu prometo viajar sozinha, ao menos uma vez, para contemplar a beleza que é depender somente de mim mesma, de fazer as coisas que eu quiser num lugar completamente desconhecido. De ter a sensação tão sonhada de conhecer outra cultura. De ter que correr atrás de todas as pessoas estranhas para saber aonde pegar um ônibus, como chegar a tal lugar, aonde tomar um café da manhã ou como chegar em algum museu. Ah, prometo também fazer um curso de história, aquele que sempre sonhei.

Prometo deixar você adormecer, fazer cafuné e te beijar as bochechas como prova de sintonia e carinho. Prometo fazer um curso de pintura, aquele que comentamos no primeiro encontro. Prometo usar aquela jaqueta velha que está guardada há anos no meu armário e eu nunca jogo fora, porque a promessa de que "um dia vou usá-la" nunca chega. Mas agora vai.


Também ser a luz de alguém. Quem sabe adotar uma criança quando estiver com uns 33 anos. E quem sabe posso colocar o nome dela de Olivia, é um nome bonito, sempre gostei dele. Prometo escrever para você, mesmo quando puder falar. Porque escrever é deixar registrado os sentimentos, pensamentos e imaginações. Prometo ser o seu sorriso. E prometo por fim, que faremos aquela velha viagem de carro pela costa da América do Sul, aquela que eu sempre sonhei, e você foi doido o bastante para dizer que me acompanharia, até desejar tanto quanto eu.


Sua Lola

Share:

0 comentários